O Leo Passos se justifica?

Apesar de todas as contratações feitas para o ataque nesta temporada e do surgimento de algumas potenciais promessas da base para o setor, Leo Passos continua a gozar de bastante prestígio se segue como um dos jogadores mais utilizados pelo Lisca, mas tem justificativa tamanha insistência?

Bem, se for analisar por estatísticas e desempenho, não. Afinal, uma média de 0,09 de gols por partida (3 gols em 35 jogos, sendo 2 deles de pênalti) estão longe de serem satisfatórias para um atacante.

Foto: João Zebral / América

Mas ele compensa com assistências?

Bem… Não. Nestes mesmos 35 jogos ele totaliza apenas um mísero passe para gol. Ele tampouco contribui o suficiente ofensivamente, com uma média muito baixa de passes chave por jogo e só criou 1 grande oportunidade de gol (a mesma contabilizada como assistência).

Ah, mas ele é um jogador tático… A importância dele pressionando e roubando bolas do adversário e brigando contra os zagueiros justifica a sua escalação, dizem os seus defensores.

Mas será mesmo?

Não vou discordar que ele realmente tem um bom número de desarmes por partida ( média de 1,6 até o momento na série B, muito embora tenha passado zerado nos dois últimos jogos que fez), entretanto ele também é um dos que mais comete faltas no ataque ao fazer essa pressão ( média de 1,5 por jogo), ele comete mais faltas que o Zé Ricardo, por exemplo, que tem de dar muitos mais botes por partida e, até mesmo pela função, por muitas vezes tem de fazer faltas para parar jogadas ofensivas.

 Foto: João Zebral / América

Para além disso, ele tem um desempenho bem ruim nas disputas com os zagueiros, ele ganha apenas 42% dos duelos que disputa por partida. Com o fato curioso de ter um péssimo desempenho dos duelos aéreos, ganhando 32% deles apenas, um percentual menor do que o do Ademir (que ganha 39% dos duelos aéreos que disputa) que é bem mais baixo que ele. Isso para não contar o baixo índice de acerto de passes no campo de ataque, apenas 59% de acerto, e de ser um dos jogadores que mais perde a posse de bola por partida, com média de 9,2 perdas de posse.

Logo, se for para escalar ele por conta da sua capacidade de desarme no campo de ataque, melhor escalar o Flávio como centroavante. Uma vez que ele tem melhor índice de passe no campo ofensivo, perde menos a posse de bola e, pasmem, tem similar média de gols por partida (2 gols em 25 jogos, o que dá uma média de 0,8 gols por partida).

x

3 comentários sobre “O Leo Passos se justifica?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s