Adquira aqui seu tijolo do América!

No começo dessa semana, tive uma felicidade muito grande. Recebi em casa um tijolo, com uma placa de metal, dizendo que eu fazia parte da história do América, acompanhando um convite para que eu conhecesse o projeto do nosso novo CT. Sinceramente, me senti feliz e ao mesmo tempo, um impostor.

Explico: Quanto mais eu pensava, mais gente eu achava na minha mente que fizeram mais que eu pelo América. Eu recebi um tijolo porque sou associado cotista, o que diz simplesmente que em algum momento eu comprei uma cota do clube, que vale mais que barras de ouro. Mas ainda assim o “evento gerador” do tijolo, como se diz em contabilidade, da minha contribuição para a história do América foi um cheque.

Lembrei de muita gente que merecia mais um tijolo do que eu. Pensei no Saraiva e no Marco Antônio; pensei no colega Marinho Monteiro;  nos meninos da Seita Verde e da Barra UNA; pensei em meu avô falecido, que se filiou ao América em 1948 (80 anos de América!). Quantas pessoas conheço que doaram seu tempo, dinheiro e sanidade mental pro América. Comprando luvas de limpeza, vassouras, bolas, etc para o time. E cada vez mais me sentia um impostor.

A metáfora de Marcus Salum

Ainda entre orgulhoso e impostor, compareci ao evento porque quando o América convoca, é obrigação do devoto responder. A explicação do presidente do nosso Conselho Administrativo para a ação do tijolo me tornou menos impostor. Nas palavras dele:

“Ninguém é mais importante que ninguém não. (…)O tijolo representa (…) aquele que dá seu dinheirinho no campo, que faz seu filho ser americano, o neto ser americano. Esse é o tijolo, ninguém tem mais direito que ninguém não. A parede só fica em pé se for um tijolo em cima do outro. (…) É um sonho que é nosso. (…) O tijolo representa isso. Se tirar dois, três tijolos a parede cai. Não se constrói nada se não for todo mundo junto. (…) Nós somos o América. Ninguém é mais que ninguém. Nem presidente, nem diretoria, nem ex-presidente, ninguém. O América é de todos. O sonho aqui hoje é de todos nós.”

Já falei na coluna “Mais Bonito não há” sobre o sonho que é o América. E presidente Salum, me permita aprofundar sua metáfora. Somos todos tijolos agora porque a obra coletiva que é o América nos permite finalmente subir paredes. Muitos suaram e choraram para que as fundações e as balizas fossem colocadas em seu lugar. Estamos subindo paredes hoje para que amanhã possamos construir telhados.

Peço perdão pelo título da coluna um pouco enganoso, mas a fala do Marcus Salum nos faz crer que todos já estão ganhando seu tijolo fazendo sua parte.

Planeta América

lanadrumond.png

Área atual e área a ser anexada

O novo CT do América, o Planeta América parece ser um sonho para quem dez anos atrás, estava amargando o rebaixamento para o módulo 2 do Mineiro. Com 165.000 metros quadrados de área, teremos o maior Centro de Treinamento de Minas Gerais e um dos maiores do Brasil. Como comparação, o C.T. de Vespasiano tem 90.000 metros quadrados e as Tocas 1 e 2 SOMADAS, possuem 143.000 metros quadrados. A sinergia das categorias de base e a equipe profissional convivendo todas em um mesmo espaço tende a produzir resultados excelentes, pois permite a troca de experiências entre as equipes e uma maior identificação do atleta com seu clube formador.

O Americano tem muito do que se orgulhar. Vivemos um tempo que não me lembro de outro tão bom no América. O que mais temos pela frente são obstáculos. “Mares calmos não produzem bons marinheiros”. Sairemos sempre mais fortes de todos eles.

Um grande abraço a todos e domingo nos encontramos no Independência!

 

Créditos da foto de Capa: Mourão Panda (@photompanda)/ América-MG

5 motivos para apoiar o América Locomotiva

Foto: Mourão Panda / América

“Uma nova história começa agora”. Este é o slogan de lançamento da nova equipe de futebol americano de Belo Horizonte: o América Locomotiva!

Para a torcida americana, essa história nas arquibancadas começa DOMINGO, ÀS 10H, no SESC Venda Nova, quando a nossa Locomotiva entrará em campo para atropelar o Paraíso Miners. (Ingressos)

E, como o Decadentes está sempre lado a lado com o América, listamos uma mão cheia de ótimos motivos para você pegar a sua camisa do Coelhão e avançar algumas jardas rumo ao apoio incondicional ao nosso time da bola oval. #LocomotivaPride

1 | É O MANTO VERDE E PRETO EM CAMPO

O motivo mais óbvio e, ao mesmo tempo, o mais importante: é o América em campo! Independente se a bola é redonda, oval ou quadrada, é a camisa verde e preta mais linda do mundo que estará nos gramados, agora em novas batalhas.

2 | VENCER A DUPLINHA

O América não é o único clube de futebol de Belo Horizonte a se aventurar neste novo e promissor esporte. Nossos grandes rivais também estão em busca de touchdowns. O Atlético, em parceria com o BH Eagles, deu início ao Galo FA. Já o Cruzeiro, em parceria com o Juiz de Fora Imperadores, será representado pelo Cruzeiro Imperadores. É questão de tempo até o América passar a locomotiva por cima da dupla.

3 | TRADIÇÃO EM ESPORTES ESPECIALIZADOS

Se existe um clube com know-how em esportes especializados em Belo Horizonte, este clube é o América! Com tradição no basquete, futsal, atletismo, handebol, vôlei, arqueria, só pra citar meia dúzia e, mais recente, o hockey, o clube foi pioneiro e vencedor em muitas destas modalidades. O futebol americano vem para abrilhantar a trajetória americana pelos esportes especializados.

Quem for ao jogo, leve também aquele casaquinho, cobertor, calças e camisa, para a campanha do agasalho.

4 | REPRESENTATIVIDADE NUM ESPORTE EM FRANCO CRESCIMENTO 

O futebol da bola oval está se tornando uma febre mundial, principalmente dentre os mais jovens. Expressões como “touchdown”, “endzone”, “tackle” e “field goal”  fazem parte do vocabulário de milhões e milhões de brasileiros. Nos Estados Unidos, o esporte é detentor de todas as 15 maiores audiências de TV. A veiculação de um comercial de apenas 30 segundos no intervalo do Super Bowl, a grande final da liga estadunidense, custa mais de 5 milhões de dólares! E, no Brasil, o crescimento também é espantoso. Apoiar o América Locomotiva significa, ainda, estar com o América em uma nova e promissora caminhada esportiva e comercial.

5 | TIME VENCEDOR 

O América Locomotiva já nasce gigante! Com a imponência da marca esportiva América e a força e pioneirismo do Minas Locomotiva, tricampeão mineiro, com 12 anos de história. #RumoAoDeca

Assim sendo, TODOS AO CAMPO!

América Locomotiva x Paraíso Miners
Data: Domingo | 29/4 | 10h
Ingressos:
R$10 (compra antecipada online, na Sede do América no Boulevard e no local)
Local: SESC Venda Nova

Wallison Fernandes
twitter.com/FernandesWali


PROGRAMA SÓCIO-CORNETEIRO: APOIE O DECADENTES NO CATERSE
| R$ 5 | R$ 10 | R$ 20 | R$ 50 | R$ 500 (Anunciante) |

ASSINE O CANAL E ACOMPANHE O PODCAST AO VIVO: http://www.youtube.com/decadentes/

ASSINE O PODCAST NO SEU SMARTPHONE: iTunes, Android, RSS, DeezerTuneIn

SIGA OS DECADENTES NAS REDES SOCIAIS:
Facebook: http://www.fb.com/DecadentesAMG
Twitter: http://twitter.com/DecadentesAMG
Aplicativo: http://app.vc/decadentes

Somos bipolares. Ou não?

Não estou preparado psicologicamente para ver o América ganhar de três a zero. Não só eu quanto a maioria dos torcedores do Coelhão. Prova disso são as redes sociais americanas essa semana, onde a bipolaridade esteve mais aguçada que nunca.

Enquanto uns já projetam a Libertadores 2019, outros se recobrem da mortalha da dor passada e dizem que nova queda este ano é inevitável. Acho muito cedo tanto pra um quanto pra outro.  A vitória contra o Sport foi convincente, com bom futebol jogado e com boas atuações de quase todos no time. Em que pese a fragilidade atual do Sport, o time se postou bem e com a entrada de Christian, adquirimos uma arma nova: viradas de bola bem feitas e inesperadas. Estamos muito bem servidos de volantes, posição que o futebol moderno vende como a grande ganhadora de títulos. Com características diferentes, temos hoje Zé Ricardo, Juninho, Christian, David, Leandro Donizete, Wesley e em algumas ocasiões no Mineiro, até Gerson Magrão foi improvisado como volante. Em um campeonato longo como o Brasileiro e com o esquema de jogo atual, a posição de volante tende a mudar constantemente, tanto em função de cartões quanto da necessidade de jogos específicos. Deixo aqui também meus parabéns ao goleiro Jory, revelação de nossa base, que fez uma excelente partida e ainda saiu para a Pitangui comemorar conosco. A torcida do América abraça sua base como poucas fazem, com o mesmo amor e rigor que reservamos aos nossos filhos. Tenho certeza que seu espaço já está reservado.

Futurologia

Adoro números, por profissão e por hobby, embora aqui no Decadentes o especialista seja nosso amigo Sérgio Tavares. Peço licença a ele para comentar sobre um pequeno estudo que fiz sobre a relação entre pontuação no Brasileiro Série A e prognósticos.

Minha metodologia foi relativamente simples. Atualmente o Brasil tem 7 vagas garantidas na Libertadores, sendo uma vaga oferecida ao campeão da Copa do Brasil e 6 vagas para a Copa Sul-Americana. Essas doze vagas são preenchidas com os 12 primeiros colocados do Campeonato Brasileiro. Caso o Campeão da Copa do Brasil esteja entre os 6 primeiros, o G6 se torna G7. Se isto ocorrer e o campeão da Libertadores for brasileiro e estiver entre os primeiros, temos um G8. Se além de tudo isso, o campeão da Copa Sul-Americana também for brasileiro e estiver entre os 8 primeiros, temos um G9.

Como tal situação não pode ser prevista, trabalhei com a versão básica: 6 vagas para a Libertadores e 6 para a Sul-Americana. Além disso, os campeonatos de 2003, 2004 e 2005 contaram com mais de 20 participantes, que é o formato atual. Então converti sua pontuação para o equivalente proporcional a um campeonato com 20 times. Adquiridos os resultados finais do Campeonato Brasileiro desde 2003, analisei cada situação considerando esse cenário. O gráfico abaixo demonstra as probabilidades de Queda, Permanência, Copa Sul-Americana e Libertadores conforme a pontuação no campeonato Brasileiro da Série A.

GraficoA

Probabilidades por faixa de pontuação

Além do gráfico, alguns números são interessantes. No formato atual, 62 pontos garantem uma vaga na Libertadores mesmo que apenas 6 vagas estejam disponíveis para a Libertadores. Para cada vaga nova disponibilizada, a “nota  de corte” diminui estatisticamente 2,5 pontos . Ou seja, caso exista um G8, essa nota de corte diminuiria para 57 pontos. Menos que 40 pontos estatisticamente sempre rebaixaram, embora até com 44 pontos a probabilidade ainda seja de cerca de 42%.

Portanto, os cabalísticos 45 pontos praticamente garantem a permanência na série A, pois em apenas 6,25% das vezes um time com 45 pontos caiu, mais exatamente o Coritiba, em 2009. Nos campeonatos de 2003, 2004 e 2005 caíram times com mais de 45 pontos, mas quando corrigimos a pontuação para um campeonato de 20 times, essas anomalias desaparecem.

Se fosse Enderson Moreira, trabalharia com metas de curto prazo: 8 pontos a cada 18 disputados, ou 8 pontos a cada 6 jogos. Nesse caso, teríamos 6 “mini-campeonatos” de 6 jogos, que em caso positivo, conseguiríamos 48 pontos garantindo nossa permanência  e com uma possibilidade 33,33% de uma vaga na Sul-Americana. E ainda sobrariam dois jogos dos 38 a jogar de folga.

Até a Copa teremos dois blocos de 6 jogos. O primeiro seria Sport (Casa), Flamengo (Fora), Vitória (C), Vasco (F), Ceará (F) e Botafogo (C). O segundo, São Paulo (C), Corinthians (F), Atlético Paranaense (C), Atlético de Vespasiano (C), Grêmio (F) e Chapecoense (C).

Flamengo

O jogo de sábado contra o Flamengo no Maracanã é um jogo perigoso. Como jogam em casa, são considerados favoritos, mesmo após uma sequência de tropeços no Brasileiro e na Libertadores. Provavelmente, o time da Gávea virá mesclado, poupando jogadores. É uma ótima oportunidade para que o América busque alguns pontos fora. Nossas torcidas estão se movimentando e acredito que teremos uma boa presença de americanos no Mário Filho às 19 horas de sábado.

Grande abraço a todos!

Jairo Viana
twitter.com/jairovianajr


PROGRAMA SÓCIO-CORNETEIRO: APOIE O DECADENTES NO CATERSE
| R$ 5 | R$ 10 | R$ 20 | R$ 50 | R$ 500 (Anunciante) |

ASSINE O CANAL E ACOMPANHE O PODCAST AO VIVO: http://www.youtube.com/decadentes/

ASSINE O PODCAST NO SEU SMARTPHONE: iTunes, Android, RSS, DeezerTuneIn

SIGA OS DECADENTES NAS REDES SOCIAIS:
Facebook: http://www.fb.com/DecadentesAMG
Twitter: http://twitter.com/DecadentesAMG
Aplicativo: http://app.vc/decadentes

Créditos da Foto de Capa: Mourão Panda(@photompanda)/América MG

Decadentes #131 – América 3×0 Sport (Brasileirão 2018)

[Nota: com atraso excepcional e com afeto, sai o programa do último domingo editado paro feed.]

Chegou a hora! Primeiro desafio do resto de nossas vidas! Contra um adversário direto no campeonato. E começamos bem! 3×0, fora o pênalti não marcado em Luan.

CONVIDADO RUBRO-NEGRO: MONETA DO SPORTANOS REAL
http://www.facebook.com/sportanosreal/


Download MP3 – Clique com o botão direito do mouse e escolha Salvar como / Save As

PROGRAMA SÓCIO-CORNETEIRO: APOIE O DECADENTES NO CATERSE – http://www.catarse.me/decadentes

ASSINE O PODCAST NO SEU SMARTPHONE:
iPhone |  Android | RSS |  Deezer | TuneIn

SIGA OS DECADENTES NAS REDES SOCIAIS:
Facebook: http://www.fb.com/DecadentesAMG
Twitter: http://twitter.com/DecadentesAMG
Aplicativo: http://app.vc/decadentes

TIME TITULAR
Cláudio Sálvio [Corneta Americana: fb.com/cornetaamericana | twitter.com/claudio_salvio]
Henrique Pinheiro [Geral do Decacampeão: fb.com/Geral.America | twitter.com/geral_america]
Jairo Viana [twitter.com/jairovianajr] 
Sérgio Tavares [twitter.com/stsalviano]
Walisson Fernandes [twitter.com/FernandesWali]

#AcreditaAmérica #DecadentesAMG #Coelhão

Sonhos não envelhecem

Na manhã deste domingo, começa um novo sonho americano, o de permanecer na Série A.

Em minha cabeça, jogos de manhã sempre trazem uma alegria simples;  a primeira vez que me lembro de um jogo de manhã foi aquela final maravilhosa de 97. Mais de 15.000 presentes no “Campo do Sete”, gol de falta do Celso e uma explosão de alegria, de camisas, de fogos, de todas as frustrações que a torcida americana  sempre viveu. Vi o jogo ao lado de Ari, ex-jogador do coelho, de muletas e sentindo os joelhos, me lembrando que o futebol cobra seu preço.  O gol de falta de Celso ainda viaja na minha cabeça, incandescente como um cometa. As lágrimas de Ari ao fim do jogo são o eterno lembrete dessa coisa bonita que é torcer pro América.

Nosso sonho em 2018 é humilde, mas difícil: Ser melhor que 4 dos 20 times que compõe a primeira divisão do futebol brasileiro. A quem gosta de números, cabalísticos 45 pontos nos separam do sonho. Estou mais otimista para 2018 do que estive nas duas últimas tentativas. Ao que parece, o planejamento do América está em ordem para esse ano. Ou pelo menos, mais em ordem do que estava. Temos um elenco equilibrado e compatível com as restrições financeiras, em que me agrada muito essa mescla de jovens e experientes. Temos um técnico que, embora divida opiniões,  tem capacidade pra ser técnico na Série A.  Se o futebol do time do Enderson não é vistoso, é preciso que seja objetivo.

Jogamos contra o Sport, que em teoria disputa conosco o escape do rebaixamento. Acredito na vitória. Uma vitória na abertura do campeonato é ótima pra melhorar o ambiente, além do fato de que cada 3 pontos são preciosíssimos em um campeonato de pontos corridos.

Mineiro x Brasileiro

Apesar do otimismo, a preocupação que tenho se deve ao fato de que o time não foi posto à prova em condições mais parecidas as que teremos na Série A. No Mineiro, contra os times do interior, jogamos com a obrigação de propor o jogo, situação que raramente encontraremos, a não ser contra times da prateleira de baixo e em casa. Na maioria das vezes, jogaremos em uma proposta mais defensiva. Os três jogos contra a turma que usa camisa de presidiário, sinceramente, não levo em conta em função da excessiva interferência externa. E contra as meninas azuis, entendo que a comparação é complicada, pois o elenco Smurf é bem mais qualificado que o nosso. E ainda assim, foi um jogo em que poderíamos ter saído com a vitória.

Penso muito no Corinthians, do Fábio Carille, que começou seu trabalho com uma proposta semelhante. Com humildade e Rodriguinho regulando, conseguiu muito mais do que se propunha originalmente. O elenco do Corinthians era extremamente limitado e ainda assim, o time deu liga e de 3 em 3 pontos, conquistou o campeonato. Mesmo sabendo da diferença de orçamentos e elencos, acredito que conseguiremos ser melhores que pelo menos 4 times. A tática do Enderson é paciente, calma e até por vezes irritante. Mas como a água que faz ceder a pedra, precisamos acreditar no trabalho.

26561482277_83af30ef1a_k

Foto:Mourão Panda(@photompanda)/América

Gente nova no CT

Para o Campeonato Brasileiro, teremos quatro novidades: Judivan, Ademir, Ricardo Silva e Leandro Donizete. Judivan é a maior das interrogações. Como tenho dito no programa, 2018 é o ano de retomada em sua carreira. Futebol ele já provou que tem. O que não teve na carreira foi saúde. Assombrado por contusões, retorna da mais grave delas. Se voltar bem, fará a diferença. Ademir fez um belo campeonato mineiro pela Patrocinense e no nosso jogo de estreia já o tinha elogiado. Rápido  e bom de passe. Ricardo Silva vem preencher a vaga de quinto zagueiro do elenco, mas sinceramente não conheço seu futebol para emitir um parecer. Fez parte da zaga que rebaixou o Atlético Goianiense, mas não sei de sua participação efetiva. Já Leandro Donizete é uma escolha estratégica, pois pode cumprir papel duplo dentro e fora de campo. Há muito tempo eu digo que Zé Ricardo precisa de um Rafael Lima. Explico: Messias melhorou muito seu futebol tendo um zagueiro experiente do seu lado, que deu confiança a ele para trabalhar sua saída de bola e seus desarmes. Zé Ricardo, com um companheiro que forneça confiança e experiência pode render mais. Fora de campo, um jogador rodado como ele mantêm o grupo alerta, inquieto e ativo. Que não deixe o temperamento subir e sofra com os cartões e expulsões que marcaram algumas de suas fases. A maturidade é a mãe da parcimônia.

Além disso, a volta de Matheusinho é esperada para mês que vem. Após um longo período parado, volta como interrogação, mas espero um bom futebol dele. O time de 2018 parece estar mais estruturado para absorver seu talento

Coluna Social

Aproveito essa coluna para mandar felicitações ao excelente casal que se casa essa noite, Walisson e Nayara. Walisson, companheiro de programa e de colunas, convenceu a Nayara, simpatia em pessoa,  a viverem uma vida juntos. Querida Nayara, casar com um americano e pior, fanático, é provação para uma vida inteira. Americano fanático é um pleonasmo, porque os não-fanáticos desistiram desse time muitos anos atrás. Tenha certeza que uma pessoa que é capaz de amar assim, também será capaz de dividir esse amor com você. Quando me casei, disse a minha esposa que eu tinha dois amores na vida, ela e o América. Enquanto um não reclamasse do outro, tudo estaria bem. Como o América não reclamou dela, acredito que ela se resignou a não reclamar dele também. Mesmo quando chega uma camisa nova pra sempre crescente coleção. Nossa loucura pelo América é parte do que somos. Continue indo com o Walisson aos jogos, porque amor com amor produz amor infinito.

Um grande abraço a todos e vamos encher o “Campo do Sete” no domingo!

Jairo Viana
twitter.com/jairovianajr


PROGRAMA SÓCIO-CORNETEIRO: APOIE O DECADENTES NO CATERSE
| R$ 5 | R$ 10 | R$ 20 | R$ 50 | R$ 500 (Anunciante) |

ASSINE O CANAL E ACOMPANHE O PODCAST AO VIVO: http://www.youtube.com/decadentes/

ASSINE O PODCAST NO SEU SMARTPHONE: iTunes, Android, RSS, DeezerTuneIn

SIGA OS DECADENTES NAS REDES SOCIAIS:
Facebook: http://www.fb.com/DecadentesAMG
Twitter: http://twitter.com/DecadentesAMG
Aplicativo: http://app.vc/decadentes

Crédito da foto de capa – Reprodução: Super Esportes

Estamos prontos para a Série A?

Com o fim do Campeonato Mineiro para o América, é hora de passar a régua e analisar o que está por vir: o Campeonato Brasileiro da Série A! Vou dividir este texto em 3 partes: o que funcionou do fim da Série B para cá; o que não funcionou da Série B para cá e, por último, a conclusão disso tudo.

Foto: Mourão Panda / América

O que funcionou

  • Montagem do elenco

Mesmo com o título da Série B em 2017, era inevitável a busca por qualificar a equipe. Afinal, o desafio em 2018 seria (e será) um campeonato muito mais forte e com equipes muito mais qualificadas. Pois então, foi o América às compras. E fez isso bem, dentro de suas condições. Peças interessantes, como Rafael Moura, Aylon e Carlinhos chegaram já de início. Outros bons nomes chegaram em outro momento, como Ruy, Wesley e Judivan. Alguns nomes de composição de elenco também vieram, como Aderlan, Matheus Ferraz, Serginho e Capixaba.

Dos Campeões da B, algumas saídas sentidas, como a de Ernandes, algumas permanências nada empolgantes, como Renan Oliveira, Gerson Magrão e Luan, e outras permanências muito importantes, como Rafael Lima, Messias, João Ricardo, Zé Ricardo e outros. No geral, sobre montagem de elenco, considero que fizemos um bom trabalho, dentro das nossas condições.

  • Manutenção do treinador

A manutenção do treinador é, sem dúvida, outro acerto neste caminho entre a Série B e a A. Enderson Moreira se mostra um treinador competente, identificado com o clube, com tesão de realizar este trabalho no América e feliz por estar aqui. A “culpa” de quase tudo no futebol acaba caindo no treinador. Mas, no caso de Enderson no América, o considero mais parte da solução do que do problema.

  • Bom desempenho contra os pequenos

O bom desempenho do América contra os times do interior é uma boa coisa. É claro que, sozinho, esse desempenho não nos levará a nada em um ano de Série A. Mas, não deixa de ser um sinal de alguma regularidade e capacidade da equipe em enfrentar jogos teoricamente mais fáceis.

  • Manutenção de um bom desempenho defensivo

Ok. Não tivemos a mesma segurança defensiva da Série B do ano passado. Mas, ainda assim, tivemos uma defesa sólida em boa parte dos jogos do Campeonato Mineiro deste ano. Rafael Lima, principalmente, falhou em jogadas em que não falhava em 2017. Mas, segue sendo nosso capitão e peça importante para os desafios do “segundo semestre”.

O que não funcionou

  • Transformar a melhoria do elenco em melhoria em campo

Com um elenco mais qualificado que o de 2017 e um Campeonato Mineiro pela frente, muitos de nós passamos a esperar por uma equipe subindo de patamar dentro de campo. Na minha visão, isso não aconteceu. O argumento de necessidade de um tempo para entrosar as novas peças no esquema é válido. Mas, também é válido constatar que a evolução de desempenho (e não de resultado) foi praticamente zero do primeiro jogo da primeira fase até o último. Rafael Moura, por exemplo, continua tão desconexo do restante da equipe quanto no dia de sua estreia.

  • Utilização constante de peças que não funcionam

Desapegar daquilo que não funciona é condição importante para buscar um novo caminho. Jogadores como Renan Oliveira, Gerson Magrão e Luan, definitivamente, não contribuirão para um sucesso do América na Série A. Contribuíram na caminhada da Série B, mas para a Série A são fracos. Por isso, é injustificável que estes entrem com grande frequência, ainda, em partidas do América “na bica” do nosso maior desafio do ano. Subir de patamar na preparação para a Série A passa, necessariamente, por deixar pelo caminho quem não tem muito o que contribuir lá. Por mais cruel que isso possa ser.

Péssimo desempenho contra os grandes

Na Série A, nossos adversários estarão mais para Atlético e Cruzeiro do que para Caldense e Patrocinense. Isso é um fato! Com isso, ter tido bom desempenho contra os pequenos e péssimo desempenho contra os grandes deve ser motivo de atenção sim. Foram 4 os clássicos contra a duplinha, com 4 derrotas. Seja tecnicamente, taticamente ou psicologicamente, algo não funcionou nos confrontos contra os grandes e deve ser identificado e corrigido.

  • Marcação nas laterais

Apesar de um sistema defensivo ainda sólido, vejo a nossa marcação pelas laterais como o ponto mais vulnerável na proteção da nossa meta. Norberto e, principalmente, Giovanni são facilmente envolvidos em tramas ofensivas dos adversários. Cruzar bola na nossa área é tarefa fácil. Pra piorar, nossos dois laterais não compensam essa fragilidade com grande desempenho lá na frente.

  • Do meio pra frente

Aqui chegamos na parte do campo em que as coisas estão realmente bem ruins. Nos dois primeiros terços do campo, vamos bem. Mas, no último, a coisa fica feia. Pra começar, a bola não chega com qualidade vinda dos homens de trás. Quando chega, os homens de frente não a tratam com o carinho que merece. Não se vê qualidade de passe, deslocamentos inteligentes, tabelas rápidas e, principalmente, não há dribles e jogadas diferentes que busquem quebrar a solidez defensiva dos adversários. Pra piorar, as jogadas de bola parada também não funcionam. O ataque americano parece sempre acreditar que os gols sairão na base do “tanto bate até que fura”. Isso funcionou bem na Série B. Já na A, tenho enormes dúvidas.

E agora, José?

É chegada a hora do maior desafio do ano: o Brasileirão. Nossa linha do tempo recente nos mostra um desastre completo no rebaixamento de 2016, uma evolução muito rápida e consistente em 2017 e um início de 2018 com um tímida, muito tímida, evolução no contexto geral. Temos um elenco claramente mais qualificado que o de 2016 e , também, mais encorpado que o de 2017. Mas, um time que não conseguiu se acertar tão bem neste início de ano.

Para mim, é como se continuássemos no caminho certo, mas tendo desacelerado um pouco o processo de evolução nestes primeiros 3 meses de 2018. Nada que justifique desespero ou pessimismo. Mas, algo que deve servir de alerta e motivação para esta reta final de preparação para o Brasileirão de 2018.

Walisson Fernandes
twitter.com/FernandesWali


ASSINE O CANAL E ACOMPANHE O PODCAST AO VIVO: http://www.youtube.com/decadentes/

ASSINE O PODCAST NO SEU SMARTPHONE: iTunes, Android, RSS, DeezerTuneIn

SIGA OS DECADENTES NAS REDES SOCIAIS:
Facebook: http://www.fb.com/DecadentesAMG
Twitter: http://twitter.com/DecadentesAMG
Aplicativo: http://app.vc/decadentes

Decadentes #129 – América 0x2 Atlético/FMF (Semifinal | Jogo 2 | Mineiro 2018)

#TambémVamosCom12, mas não foram suficientes para reverter o resultado da primeira partida. De cabeça quente, mas não fugiremos à responsabilidade de cornetar a partida. Adeus, Campeonato Mineiro 2018. Olá, Brasileirão!


Download MP3 – Clique com o botão direito do mouse e escolha Salvar como / Save As

ASSINE O PODCAST NO SEU SMARTPHONE:
iPhone |  Android | RSS, |  Deezer | TuneIn

SIGA OS DECADENTES NAS REDES SOCIAIS:
Facebook: http://www.fb.com/DecadentesAMG
Twitter: http://twitter.com/DecadentesAMG
Aplicativo: http://app.vc/decadentes

TIME TITULAR
Cláudio Sálvio [Corneta Americana: fb.com/cornetaamericana | twitter.com/claudio_salvio]
Henrique Pinheiro [Geral do Decacampeão: fb.com/Geral.America | twitter.com/geral_america]
Jairo Viana [twitter.com/jairovianajr] 
Sérgio Tavares [twitter.com/stsalviano]
Walisson Fernandes [twitter.com/FernandesWali]

#AcreditaAmérica #DecadentesAMG #Coelhão

Decadentes #128 – Patético+FMF 1×0 América (Semifinal | Mineiro 2018)

Gravado diretamente dos estúdios Decadênticos, pra não passar batido e manter o registro da vergonha que se realizou ontem no Independência, Segue o programa desta noite.

CONVIDADOS: Adolfo Parenzi, Brunão, Eurico Reis, Filipe de Leucas, Vagno e Victor Boaventura


Download MP3 – Clique com o botão direito do mouse e escolha Salvar como / Save As

ASSINE O PODCAST NO SEU SMARTPHONE:
iPhone |  Android | RSS, |  Deezer | TuneIn

SIGA OS DECADENTES NAS REDES SOCIAIS:
Facebook: http://www.fb.com/DecadentesAMG
Twitter: http://twitter.com/DecadentesAMG
Aplicativo: http://app.vc/decadentes

TIME TITULAR
Cláudio Sálvio [Corneta Americana: fb.com/cornetaamericana | twitter.com/claudio_salvio]
Henrique Pinheiro [Geral do Decacampeão: fb.com/Geral.America | twitter.com/geral_america]
Jairo Viana [twitter.com/jairovianajr] 
Ramon Gregório
Sérgio Tavares [twitter.com/stsalviano]
Walisson Fernandes [twitter.com/FernandesWali]

#AcreditaAmérica #DecadentesAMG #Coelhão